Ter um trabuco em casa é “utilidade pública”?

Está lá, no Portal da Transparência: este governo que quer cortar verbas de escolas e hospitais com a tal “desvinculação do orçamento” libera um “reforço orçamentário” para uma campanha de “utilidade pública” sobre como o governo liberou a compra de armas pelos cidadãos.

R$ 1,5 milhão, “dinheirinho” de não se jogar fora…

Não se vislumbra, é óbvio, utilidade pública no fato de que eu ou qualquer um compre um .38 ou uma Glock para ter em casa – trancado no cofre ou numa gaveta, como exige a licença.

Nem consigo imaginar como se faria tal publicidade, será que aproveitariam cenas de velhos bang-bangues  para dizer que, agora, este país tem lei, nem que seja a lei do “Velho Oeste”?

Podiam chamar o Ronnie Lessa, com os seus 117 fuzis, para ser o garoto-propaganda, não acham?

A coisa era tão absurda que, dias depois, cancelaram o empenho às vésperas do Carnaval, 28 de fevereiro.

Menos mal.

Comentários no Facebook