Tensão na fronteira fechada entre Venezuela e Brasil

A insensatez nos está levando para uma situação de conflito que só traz prejuízos para o Brasil.

Ontem, o porta-voz do Governo anunciou que se fariam depósitos de ajuda humanitária para abastecer “caminhões venezuelanos dirigidos por motoristas venezuelanos nas cidades de Pacaraima (na verdade, uma pequena vila de 12 mil habitantes) e Boa Vista.

Não ficou esclarecido se esta ajuda estava sendo enviada dos Estados Unidos ou se daqui mesmo, e à conta de quem.

Na Folha de hoje, diz-se que os militares brasileiros resistem à uma pressão dos EUA para usarmos tropas contra o país vizinho e recusaram a operação da Força Aérea dos EUA em nosso território.

O líder da oposição, Juan Guaidó, anunciou que ia pessoalmente à fronteira supervisionar a entrada dos caminhões que diz ter sob controle.

Depois de uma manifestação de apoio expressiva, ontem, em Ciudad Bolívar, a cidade de porte mais próxima à fronteira do Brasil – assim mesmo, a mais de 700 km – o presidente Nicolás Maduro mandou tropas para a região fronteiriça e, agora, teria ordenado o fechamento da fronteira a partir de 21 horas.

Deus nos livre de escaramuças militares, que nos seriam desastrosas.

Ainda mais no dia em que se divulgou o relato do  ex-diretor do FBI, Andrew McCabe em que ele afirma que  Donald Trump planejava uma guerra contra a Venezuela desde 2017, por causa do petróleo.

Comentários no Facebook