Senadora moteleira do PSL quer “universidade cívico-militar”. Com depilação, claro

A única ligação entre axilas e cultura que já ouvi era o apelido de “sovaco ilustrado” dado aos sujeitos que, diziam nos anos 50 e 60, andavam com livros não lidos debaixo o braço, para parecerem cultos sem jamais terem de se haver com aquele “amontoado de letrinhas”.

Hoje, aprendi uma nova, ao assistir a senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) protestar, durante a oitiva de Abraham Weintraub – o sujeito que desonra o Ministério da Educação – contra “as axilas com pelos das mulheres, elas estavam exaltando aquilo como um protesto, como se ninguém deixasse elas não se depilarem” nas universidades federais. onde haveria, também, nos banheiros, fotos de “meninas seminuas, uma coisa assim tétrica.”

A senadora moralista – que é dona, com a família, é dona de motéis em Campo Grande, e que projetou a decoração erótica das suítes – usou este argumento para sugerir a Weintraub a expansão, para as universidades, do projeto de escolas “cívico-militares”, quem sabe com policiais militares para patrulharem os banheiros femininos.

Para quem estiver incrédulo, está aqui o vídeo, a partir dos 2:52:47.

Espera-se que a senadora, ao defender a repressão onipresente nas universidades, ao menos se inspire na decoração que fez, pessoalmente, em seus motéis, descrita pelo G1: “Dois quadros decorativos com algemas de pelúcia e um chicote também reproduzem parte do arsenal guardado no quarto vermelho de Grey.”

A imbecilidade chegou, de fato, a níveis obscenos neste país.

Comentários no Facebook