Sem perdão. Nem para os professores uma reforma aceitável

Quando você entrega o principal, perca as esperanças de ficar com o acessório.

Depois da aprovação do texto base da reforma previdenciária, muitos deputados que a ele se acumpliciaram fizeram o teatrinho da exclusão dos professores da regra draconiana importa pelo projeto.

Conversa.

Se quisessem mesmo preservar os professores, teriam colocado isso como condição para aprovar o relatório na comissão especial e, no plenário, ao projeto.

De agora em diante, o governismo tem condições plenas de negar qualquer mudança no arrocho, porque seriam precisos 308 votos para aprovar qualquer emenda.

Pelos professores, votaram 265, o que é o mesmo que nada.

Aliás, entregue a previdência, tudo o mais vai seguir a marcha da crueldade.

Galinha morta é que se depena.

Logo o próprio Rodrigo Maia vai se defrontar com esta realidade.

Comentários no Facebook