Rumo ao PIB Zero – 4: Previsão é cortada pela 17ª vez seguida, para 0,87%

Acaba de sair o Boletim Focus, com a previsão dos bancos para o crescimento do PIB.

Ficou monótono: pela 17ª vez consecutiva, registrou-se queda, agora dos 0,93% da semana passada para 0,87%.

Na Folha, o secretário  de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, diz que o governo vai mudar a rotina do cálculo de suas previsões sobre a taxa de expansão do Produto Interno Bruto.

A explicação é singela:

“Está caindo tão rápido que, quando é publicado, estamos destoados”

A importância disso nas contas públicas é imensa, ele confessa:

“(…) a nova queda na projeção do PIB vai diminuir a estimativa de receitas federais e pode levar a um novo bloqueio orçamentário. “Cada anúncio do PIB é um desespero, porque bate no contingenciamento. Já estamos com dificuldade para fechar o ano em alguns ministérios”, afirma Sachsida. 

Na reportagem, contudo, há algo que merece ser levado a sério e que, ao contrário da queda do PIB, é notícia.

Diz ele que “a aprovação da reforma da Previdência pode ajudar o PIB em 0,4 ponto percentual em 2020”.

0,4%?

Então este é o milagre econômico que  se promete com a “mãe e todas as reformas”? É com isso que dizem que vão criar milhões de empregos?

O Brasil está afundado numa crise  que se esconde com os altos índices da Bovespa, lá nas nuvens da especulação que engrossam com a fumaça da economia real em chamas.

 

Comentários no Facebook