Regra do ‘dia sim; dia não’ falha e governo ‘erra’ notas do Enem

ImpreCionante.

O governo, presidido por alguém que acha que o mundo pode ficar mais limpo se adotarem a regra do “dia sim; dia não”, produz uma “cagada” por dia.

Agora, abalou a credibilidade das notas do Enem, errando a divulgação da pontuação de dezenas de milhares de candidatos.

Estejam certos ou errados os resultados, todos têm o direito de duvidar deles, agora.

Num vídeo, Abraham Weintraub diz que são “só 39 mil”.

(aliás, o mau português não faltou: “Um grupo muito pequeno de pessoas teve o gabarito trocado quando foi [sic] fechado os envelopes“.

Depois, o presidente do Inep disse que eram apenas 4 os casos confirmados, mas que poderiam atingir 39 mil. Ou nove mil: “A gente acha que não vai chegar nem a 9 mil pessoas.

Como alunos relapsos, “chutam” qualquer número.

Mandaria a prudência reprocessar todos os cartões de resposta, mas estão sendo revistos apenas um número que se desconhece, por razões que igualmente se ignora.

Pior, abriu-se um e-mail para que os que se sentirem prejudicados peçam verificação. Se é assim, como é que terminarão tudo até amanhã, no caso de 200, 300 ou 400 mil candidatos discordem das notas lançadas em seus nomes?

A menos que o e-mail para verificação seja “embromation”, é impossível processar uma quantidade desta monta de resultados em algumas horas.

Esse é o “Enem sem falhas” que Weintraub apregoava. Nessa prova ele, quem sabe, admita que não paÇou.

 

 

 

Comentários no Facebook