Quem semeia confusão tem algo a esconder

O presidente promete, diante de uma dúzia de deputados, reverter o corte do orçamento da Educação. Minutos depois, o corte é confirmado.

O boato sobre supostas mensagens do general Santos Cruz, chefe da Secretaria de Governo, com conteúdo que Jair Bolsonaro considerou ofensivo a ele segue firme e forte.

O governo não toma nenhuma providência passa garantir, mesmo aceitando mudanças, a aprovação da MP que organizou seu ministério.

Agora, o filho que detém a senha das contas pessoal do Presidente posta no Twitter – em mau português, para variar – que “o que está por vir, pode derrubar o Capitão eleito. O que querem é claro!”.

As vírgulas mal colocadas não impedem de ver que há algo dramatico no horizonte próximo, que só os do clã sabem. Como foi o “tsunami” do papai, no final da semana.

O que faz esta gente tratar um país como uma brincadeirinha, embora o país já tenha aprendido a não levá-los tão a sério.

Há algo de pestilento no ar e o país vai seguir ardendo, ao que parece com o twitter no lugar da harpa.

Comentários no Facebook