Previdência: reforma atrasa e desidrata já na CCJ

É oficial, agora.

O governo teve de aceitar mudanças – não estão claras ainda quais – no texto original já na apreciação da constitucionalidade da PEC da Previdência.

É um duro golpe sobre Paulo Guedes, que jamais admitiu mudanças nesta fase e o “mercado” fez esta imediata leitura: o dólar foi a R$ 3,94 e a Bolsa perdeu o patamar de 93 mil pontos.

Também não é oficial, mas o presidente da CCJ disse ter ouvido de Rodrigo Maia que só instalará a comissão especial da reforma no dia 7 de maio, o que torna virtualmente impossível que vá a plenário ainda no primeiro semestre.

E o tempo, como se sabe, é a melhor forma de sangrar um projeto.

Comentários no Facebook