Pausa para rir: o certo é arrogante ou “Harrogante”, Merval?

arrogante

Merval, que mico!

A (ou será Há?) imagem de sua página de hoje em O Globo vai deixar você sem chá esta semana na Academia Brasileira de Letras.

Quer dizer que “não existe perseguição HA Lula” e, pior, “EXISTE FATOS a serem investigados”?

Uma vá lá,  acontece nas melhores famílias e até na minha, que já errei muitas vezes e errarei muitas mais.

Mas duas, assim de carreirinha?

E logo você, Milorde?

O povo do Facebook, terrível, fotografou e colocou a imagem para rodar na internet.

Sabe, Merval, sei que já consertaram, mas você me lembrou o caso – pergunte aí na Academia, é possível que alguém conheça – do personagem Aldrovando Cantagalo, do conto O colocador de Pronomes, de Monteiro Lobato.

O camarada nasce por conta de um pronome mal colocado –  seu futuro pai manda um bilhete para a filha bonitinha de um ferrabrás e, por conta de um “lhe” o velho diz que a declaração de amor  não é para ela, mas para uma terceira pessoa, no caso a irmã mais velha, feiosa e “titia” e morre por conta de sua grande obra: um tratado de colocação de pronomes. Calhou de vir o impresso, seu único livro – empate com você –  vir, logo na dedicatória, com uma deprimente ênclise no lugar da próclise: “a fulano de tal, que sabe-me as dores”.

Ah, Merval, o Aldrovando com essa sua dose dupla estaria, como no conto,  gritando Lamma Sabachtani, Lamma Sabachtani?!

Não sabe o que é? Eu podia ser malvado e dizer para você perguntar ao Michel Temer ou ir ao Google (afinal, depois do Google qualquer um pode afetar erudição, não é?), mas não sou.

Quer dizer, chamando a Deus desesperadamente, “por que me abandonaste?”.

Talvez, quem sabe, nem Deus esteja aguentando tanta hipocrisia.

Ou será Ipocrizia?


Der WhatsApp Chat ist offline

Comentários no Facebook