‘Otimismo’ de Guedes e Moro é sinal de que há problemas

 

A “mosca azul” parece que pousou na cabeça depois do seu encontro com as subcelebridades que foram dar apoio a ele e a Sérgio Moro. Ou que Rodrigo Maia o seduziu com os elogios de que era um “grande articulador político”.

Disse, nos Estados Unidos que “a reforma da Previdência proposta pelo governo Jair Bolsonaro tem apoio popular“. ainda, é claro, que as pesquisas mostrem o contrário, especialmente quando se detalha o que ela contém.

O vírus do “olavismo” se espalha rapidamente, como se vê.

Daqui a pouco arrranjam um grito de gozação nas manifestações contrárias e ele vai reclamar do “tchuchuca”.

Moro diz o mesmo de seu pacote, alegando que o Datasenado diz o contrário do Datafolha. O “pequeno detalhe” de que as perguntas são outras, diferente, passa batido.

As ofensivas dos dois ministros “prestigiados” – Moro e Guedes – é pura espuma sobre as dificuldades de articulação na Câmara, onde a maioria obtida para deter as ações da oposição que visavam adiar a leitura do relatório não é garantia de que se vá repetir para votar segunda ou terça a sua aprovação.

Tanto que o líder do PSL, Major Vitor Hugo, que tem certo apreço pelos “sincericídios” disse que já conta com a votalção em plenário somente no segundo semestre.

 

Comentários no Facebook