O tsunami da Educação afoga o governo

Escolhi esta foto da Avenida Paulista, lotada nas duas pistas diante do Masp e além dele, para suprir a impossível tarefa de publicar imagens das centenas de manifestações contra os cortes nas verbas da educação.

Logo ela será lembrada como um retrato do dia em que o Governo Bolsonaro começou a ser passado, embora ainda seja um pesadelo dos dias que vem por aí.

Porque é o dia em que o país voltou a acreditar em valores humanistas, depois do transe armamentista e policial que fizeram nosso povo viver.

É isso, é isso: é livro, é juventude – ela mesmo, com todas as suas irreverências e “balbúrdias” que um dia fizemos – pensando em viver melhor e em mais paz, não em revólveres e tacos de basebol, para matar e bater.

O dia em que percebemos que nossos sonhos, sonhos de gerações, começam a ser resgatados do sequestro que haviam feito, porque faz anos que o Brasil anda para trás.

Mas já não, já não…A gente percebe que a rua voltou a falar e, no seu ritmo, vai rugir.

Comentários no Facebook