O terceiro homem

Ressurgiu, certamente porque algum passarinho cantou, a história publicada em no ano passado, sobre um relatório da Polícia Civil, que acabou divulgado pela TV Globo, de que havia um terceiro homem – os outros dois seriam Élcio Queiroz, motorista, e Ronnie Lessa, no banco de trás – no Chevrolet Cobalt clonado que serviu aos executores de Marielle Franco e Anderson Gomes.

Esta informação foi amplamente divulgada no dia 15 de novembro do ano passado deste ano, mas, em 13 de março, depois da prisão dos dois, o então delegado do caso, Giniton Lages, disse à BBC que não havia este terceiro ocupante do carro.

Neste mesmo dia, Lages foi afastado do caso, surpreendentemente.

E o “terceiro homem” sumiu, desde então.

Desde ontem, porém, a história reacendeu-se, sabe-se lá por que motivos.

Como neste inquérito as informações só aparecem se vazadas e se mente e se desmente a rodo, fica-se na especulação.

 

Comentários no Facebook