O ex-capitão sedicioso apóia os PMs amotinados

Os senhores generais que se apresentaram para escoltar Jair Bolsonaro no poder deveriam ver bem onde estão se metendo.

Ontem, um oficial das Forças Armadas foi “negociar” a anistia aos policiais militares amotinados no Ceará.

À noite, foi o próprio Presidente quem lhes deu apoio, ao sugerir que não renovará a presença e tropas da Força Nacional e do Exército no Estado, onde os homicídios explodiram (com ajuda adivinhem de quem?).

O Ministro da Segurança Pública, preocupado em desfilar de tanque e com cartazes caricatos do presidente, não deu um pio.

O Governo do Ceará só teve oferta de ajuda, agora, dos seus colegas do Nordeste -informa Monica Bergamo, na Folha .

É algo perigoso e sem cobertura legal, por enquanto.

O capitão que ameaçava botar bombas em quartéis para ter aumento de soldo está de volta.

Apoiando os policiais cearenses sublevados, garante sua tropa.

Sua milícia.

Nas barbas dos generais que, amanhã, talvez tenham de fazer frente a motins em suas tropas.

PS. Depois da publicação deste post, Bolsonaro prorrogou por sete dias a GLO. Um espécie de ultimato para que o governador cearense conceda a anistia aos amotinados.

 

Comentários no Facebook