O coração de Dilma e a miséria da política

Dilma Rousseff deixou hoje o hospital onde fez uma angioplastia cardíaca.

Atualmente, um procedimento muito seguro e de recuperação relativamente rápida, testemunho de quem fez o mesmo, quase seis anos atrás.

E um nada para ela, que já enfrentou uma ditadura, a prisão, a tortura, um câncer, a mídia, um Aécio Neves e um golpe de Estado.

O que dói, mesmo, é saber que a miséria da política maltrata o corpo e o coração de quem não fez dela meio de enriquecer.

E que este país tornou-se o império da maldade, onde encarceram por ódio um presidente que governou sem ódios e não escondem que desejam fazer o mesmo a uma mulher que está para completar 71 anos, amanhã.

Mas é assim mesmo: se o mundo fosse justo não estaríamos dos esfalfando em torná-lo decente.

Saúde, Dilma, saúde para que os corações valentes do Brasil não parem de lutar, por mais que a treva nos envolva.

Como cantam os gaúchos que nos ensinaram tanto, ‘não tá morto quem luta e quem peleia”.

Comentários no Facebook