O Brasil da “modernidade” é a lenha e carvão

De O Globo, agora há pouco:

Um quinto das famílias brasileiras já usa lenha ou carvão para cozinhar. São 14 milhões de lares preparando alimentos dessa forma, alta de 27% ou mais 3 milhões de domicílios nos últimos dois anos. No Sudeste a expansão foi maior, de 60%. Os dados são da pesquisa Pnad Contínua, do IBGE.

Ano passado, pela mesma pesquisa, era de  17,6% a parcela de lares que usam também lenha ou carvão no preparo de alimentos, 1,2 milhões de lares a mais que no ano anterior passando, no todo ou em parte, a abandonar o gás de botijão como fonte de calor.

O preço – que, no Rio de Janeiro, segundo levantamento feito dias atrás pelo jornal Extra, chegava a R$ 85 pelo botijão  de 13 kg – tornou-se inacessível para quem ganha muito pouco.

Mais ainda para quem não ganha nada, porque desempregado.

Mas são os preços de “mercado”, que se danem a dignidade do ser humano, a qualidade do ar, a fuligem e a vegetação abatida.

É a modernidade…

Comentários no Facebook