Não, Bolsonaro, democracia não é “só se militar quiser”

Jair Bolsonaro acaba de fazer letra morta da Constituição Brasileira, que dá missão, deveres e limites às Forças Armadas.

Em cerimônia no quartel do Corpo de Fuzileiros Navais, no Rio, disse que “democracia e liberdade, só existe(m) quando a sua respectiva Força Armada assim o quer”.

Hein? Por acaso as Forças Armadas são um bando sem regras, como uma milícia, e impõe as coisas como querem que sejam?

Está escrito na Constituição que elas  “destinam-se à defesa da Pátria (e) à garantia dos poderes constitucionais, não que pode derrubá-los.

Que tipo de comandante chulé é você que diz aos soldados que o que está na Carta Magna do país é “se quiserem”?

Senhores comandantes militares: se querem que não se desenvolva o golpismo em suas fileiras, se querem que seus soldados não ajam de acordo com “o que quiserem”, mas com a lei, a hierarquia e os regulamentos, não ofereçam os quartéis para este tipo de barbaridade.

Porque este “exercício de vontade armada” já levou até mesmo certas figuras do exército pretenderem explodir bombas em quartéis, porque se achavam no direito de ter aumento.

Comentários no Facebook