Maia vai à guerra e diz que Moro é “funcionário de Bolsonaro”

Com todas as desculpas que disse ter apresentado hoje aos militares, o “Maia vai à guerra” que este blog apontou ontem sobre as declarações do presidente da Câmara era a mais evidente das verdades.

Hoje ele repete a dose e reage ao pedido de Sérgio Moro para abreviar a tramitação do pacote proposto pelo “justiceiro de Curitiba” engrossando o caldo:

[Moro?]O funcionário do presidente Bolsonaro? Ele conversa com o presidente Bolsonaro e se o presidente Bolsonaro quiser ele conversa comigo. Eu fiz aquilo que eu acho correto [sobre a proposta de Moro]. O projeto é importante, aliás, ele está copiando o projeto direto do ministro Alexandre de Moraes. É um copia e cola. Não tem nenhuma novidade, poucas novidades no projeto dele”

Maia, mordido com a onda de ataques e xingamentos que lhe fazem os seguidores de Bolsonaro nas redes sociais desancou o ex-Super-Homem de Curitiba:

“Eu sou presidente da Câmara, ele é ministro funcionário do presidente Bolsonaro. O presidente Bolsonaro é quem tem que dialogar comigo. Ele está confundindo as bolas, ele não é presidente da República, ele não foi eleito para isso. Está ficando uma situação ruim para ele. Ele está passando daquilo que é a responsabilidade dele. Ele nunca me convidou para perguntar se eu achava que a estrutura do ministério estava correta, se os nomes que ele estava indicando estavam corretos”.

Sérgio Moro, positivamente, não é mais um intocável. E não adianta ir chorar para o chefe, ele está endurado em Maia para que a reforma da Previdência ande. E, ainda que não estivesse, tenho lá minhas dúvidas se moveria uma palha pelo ex-juiz.

Comentários no Facebook