Macri, agora humilde: pedido de desculpa e aumento de salários

O presidente argentino Mauricio Macri abriu sua fala, agora cedo, por uma mensagem em rede de televisão, de forma surpreendente: pediu desculpas por ter dito que a culpa pelos problemas da Argentina era dos eleitores que escolheram votar na oposição.
Reconheceu as dificuldades por que estão passando os argentinos e disse estar fazendo uma “autocrítica” por ter exigido sacrifícios demais:

“Escutei o que quiseram me dizer no domingo”, dizendo que era por isso que anunciava um aumento do salário-mínimo, redução de imposto de renda, bônus para os aposentados e para as forças de segurança.

“Baixou a bola”, como se diria na gíria e abandonou o discurso catastrofista que vinha fazendo sobre uma vitória da oposição.

Nitidamente, visou recuperar terreno para a eleição “para valer”, em 27 de outubro.

É provável que seja tarde demais, sobretudo porque o faz depois de dois dias de desgaste com a ferocidade de sua reação às urnas.

Comentários no Facebook