Lula: depois do PT, Bolsonaro faz de Mourão seu maior inimigo

Na entrevista de ontem, cuja íntegra está em vídeo ao final do post, Lula faz uma constatação que reflete a essência da sustentação do governo Bolsonaro: ele sobrevive do único sentimento forte que provoca, o ódio.

É por isso que, em sua fala, Lula diz que “o inimigo central dele[ Bolsonaro], além o PT,  é o vice [Hamilton Mourão]”.

O governo Bolsonaro não é para reunir, porque não é um governo de construção.

É, desde antes de sua eleição, um projeto de destruição e, por isso, em lugar da reunião, apóia-se da divisão e na divisão com ódio.

A destruição, porém, é um programa de duração limitada, enquanto a construção, apesar de não oferecer o prazer imediato da ódio contido na demolição, tem o projeto duradouro da esperança.

É este o perigo que Lula oferece a este processo de destruição: a sobrevivência da esperança. Ouvir o que ele diz é entender porque ela, teimosamente, persiste.

 

Comentários no Facebook