Lauro Jardim: PF conclui que ninguém pagou advogado de Adélio Bispo

O colunista Lauro Jardim, em O Globo,  diz que Jair Bolsonaro vai ficar furioso com as conclusões do inquérito da Polícia Federal sobre quem pagou a defesa de Adélio Bispo, o louco que o atacou a faca, em Juiz de Fora, e fez virar a favor do bolsonarismo a campanha eleitoral do ano passado.

É que os investigadores concluíram que o objetivo do advogado Zanone Júnior  – e não pela primeira vez – era promover-se, ganhar o noticiário.

Zanone sustentou desde o início que o dinheiro para defender Adélio lhe foi dado por “um religioso de Montes Claros (MG)”, que não queria aparecer. Só que a investigação da PF, em fase final, aponta para uma novidade: ninguém pagou pela defesa. O advogado resolveu assumir o caso de graça e inventou uma história.
A motivação foi a mesma que o levou a defender gratuitamente Bola, o ex-policial que se envolveu no caso do goleiro Bruno. Zanone queria faturar com os holofotes de um caso supermidiático.

Bolsonaro, que põe em dúvida três laudos psiquiátricos que dizem que o homem é um transtornado mental,  sustenta que o advogado é pago pelos que seriam os imaginários mandantes do crime.

Espera-se que Bolsonaro não faça com Sérgio Moro, chefe da PF, o que fez com Joaquim Levy, que não atendeu aos seus caprichos de criar uma “caixa-preta” no BNDES para poder atacar os adversários.

Moro deve sair por suas mentiras, não pelas verdades.

Comentários no Facebook