Itaú baixa de 2% para 1,3% previsão do PIB. Grave a crise

Previsões econômicas costumam ser alteradas, não é novidade.

Mas é impressionante o grau de redução das expectativas para a economia divulgado agora há pouco pelo Banco Itaú, casa bancária de onde veio o até pouco tempo atrás presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn.

É quase cortar à metade o que se previa no início do ano.

E, diria o outro, “por enquanto”, porque o banco diz que “os índices de confiança apresentaram recuo generalizado em março e indicam risco de arrefecimento adicional da atividade à frente.”

Ninguém descarte que logo estejamos perto do 0% de crescimento.

Sabe como é, o próprio presidente diz que não entende nada de economia.

O problema é que as nossas autoridades econômicas, ao que parece, também não, pois preferem apostar em fatores econômicos tipo “brilho nos olhos”, “instinto animal”e outras bobagens do tipo.

Comentários no Facebook