IBGE mostra comércio em queda, demolindo euforias

Lembra daquela história de que os shoppings tinha vendido 10% a mais no Natal? Coloque-a no mundo das fábulas, porque o que aconteceu, mesmo, foi queda nas vendas do comércio, seja no varejo ampliado (-0,8, índice que inclui veículos e material de construção), seja no varejo em geral, onde a queda de 0,1% interrompe a série de sete altas mensais que animava o “agora a coisa vai”.

As expectativas do mercado já não eram grande coisa, esperando-se um crescimento de 0,2%. Nem isso se viu. O crescimento anual esperado era 3,5%, veio 2,6%.

Amanhã, o IBGE divulga a pesquisa sobre o desempenho do setor de serviços e a perspectiva não é animadora: a projeção é que caia 0,2%.

 

Comentários no Facebook