Guedes sugere que Bolsonaro privatizará Petrobras

Na falta de um programa – qualquer programa – para a economia brasileira, Paulo Guedes serve-se da crescente psicopatia de Jair Bolsonaro para fazer a única coisa que realmente lhe habita o cérebro: destruir o Brasil como Estado soberano.

E, agora, indo com o punhal no coração: disse que o ímpeto privatizante de Jair Bolsonaro é tal que “já, já ele chega na Petrobras“, que, por ele, Guedes, já teria ido para o balcão.

Certo de que a inteligência brasileira está a tal ponto destruída, usa como argumento o paradoxo, dizendo que ” frente aos US$ 600, 700 bilhões de exploração no pré-sal, ela [a Petrobras] não tem essa capacidade de investimento”, como se faltassem possibilidades de atrair, por sociedades ou por créditos, capital para um negócio rico e seguro como explorar petróleo.

Melhor vender e deixar o outro lucrar por 30 ou 40 anos.

Guedes disse ao presidente da Petrobras que, por enquanto, se pode ir depenando a galinha dos ovos de ouro, como se faz vendendo as partes de uma empresa que tem na sinergia de seus negócios seu maior fator de lucratividade. Mas que logo chegará a hora de cortar-lhe o pescoço.

O nível de sofisticação de nossa elite econômica é este: vender as cadeiras, as mesas, o balcão e o caixa do botequim para cobrir as despesas e honrar os credores.

Nem a nobreza que dirige a Arábia Saudita chega a isso, para pagar seus luxos.

É impossível não sentir nojo desta gente que acha quer ter um país é como ter uma mercadoria para vender numa feira, de militares que acham que patriotismo é bater continência à bandeira norte-americana e infestar o Palácio com a sua senilidade interesseira.

A hora dos canalhas, porém sempre chega, embora demore.

Comentários no Facebook