Fux "mata no peito" o voto alheio e decreta resultado de recursos

O ministro Luiz Fux, que dispensa apresentações, “matou  no peito”o problema criado por Joaquim Barbosa e já anunciou à Folha de S. Paulo, agora há pouco, que o Supremo Tribunal Federal vai rejeitar os chamados embargos infringentes no julgamento da Ação Penal 470.

” Segundo Fux, o julgamento do mensalão será retomado normalmente na quarta-feira, como estava previsto, e que até ‘o dia 7 de setembro, no máximo’, as penas dos réus serão conhecidas.”

Ou seja, segundo Fux, os ministros votarão pela rejeição dos embargos.

Resta saber se os demais ministros – não apenas Ricardo Lewandowski – vão aceitar ser tratados assim pelo grupo de Joaquim Barbosa, como reses que são tangidas para onde se quer.

Independente das convicções jurídicas de cada magistrado, pela aceitação ou rejeição dos embargos –  nenhum juiz pode aceitar ser manobrado assim.

A mais alta corte brasileira está sendo transformada numa corte de comarca dos tempos antigos, onde o resultado dos julgamentos já era sabido quando se conhecia a quem eles interessavam.

Nunca, em momento algum de sua história, a independência de cada ministro do  Supremo foi tão achincalhada.