Família de ex-madrasta pagava para Flávio nomeá-la, diz Época

Parece terem-se aberto as portas do chiqueiro funcional do gabinete do “Filho 01”, Flávio Bolsonaro na Assembleia Legisltiva do Rio.

Ontem, já havia sido mostrado que ele (e o pai) contratavam nada menos que 13 parentes de sua ex-mulher e madrasta

Agora, a Época revela – diz que tem gravações de pelo menos dois deles – que estes eram “laranjas” que devolviam 90% do que recebiam  pelo cargo a Flávio.

Em O Globo, Bela Megale fala de outra frente de “coleta” de recursos: Fabrício Queiróz cuidaria de ficar com dois terços do valor dos cargosa de militares colocados à disposição do gabinete do então deputado.

É o “toma de lá e me dá para cá” escancarado.

De lá ds EUA, o pai “machão” não desmente os fatos, mas faz bravata:

— Agora, estão fazendo esculacho em cima do meu filho. Querem me atingir? Venham para cima de mim! Querem quebrar meu sigilo, eu sei que tem que ter um fato, mas eu abro o meu sigilo. Não vão me pegar.

Acho que vão, Jair…

Comentários no Facebook