Fake Anonymous

É estarrecedora a incapacidade da imprensa brasileira de apurar informações.

Cai como um patinho na história do falso vazamento de dados pessoais de Jair Bolsonaro e de seus filhos e, pior, no dificílimo inquérito para apurar o terrível crime.

Ora, tudo o que foi “vazado” é público.

Quer saber o CPF do presidente, clique aqui.

Quer saber CNPJ da empresa que mantém com os filhos e a ex-mulher, desde 2017, clique aqui.

Quer saber quais são os seus bens, ao menos os que declarou à Justiça Eleitoral? É só clicar aqui.

No entanto, o Ministro da Justiça, André Mendonça vocifera: “as investigações devem apurar crimes previstos no Código Penal, na Lei de Segurança Nacional e na Lei das Organizações Criminosas”.

Uau!

Qualquer sujeito que passe meia hora dando “googladas” levanta tudo aquilo que, ao menos no que se noticia, foi “hackeado”.

Vazamento que se preza é de algo sigiloso, arranjem algo que seja sigiloso, por favor e, se for, será levado a sério.

Do contrário fica a impressão de que isso é cortina de fumaça, ao se colocarem como vítimas de um esquema cibernético no qual são eles os verdadeiros criminosos?

 

 

Comentários no Facebook