Estrago na bancada faz Bolsonaro recuar diante de Bivar

Incrível, fantástico, extraordinário.

O poderosíssimo presidente da República, o Mito, o Super Homem palaciano foi correndo ao site O Bolsonarista, depois que o presidente do PSL, Luciano Bivar, deu-lhe um “passa fora”, ao declarar para a jornalista Andrea Sadi, que a porta da rua era serventia da casa para Jair Bolsonaro:

“A fala dele foi terminal, ele já está afastado. Não disse para esquecer o partido? Está esquecido”.

A quem não lhe ia dirigir perguntas incômodas, Jair Bolsonaro disse que “é direito dele” Bivar querer afastá-lo do partido, mas que não sairia do PSL “de livre e espontânea vontade”.

Depois da reunião de ontem que revelou um surpreendente apoio maciço a Bivar (leia-se, ao fundo eleitoral) por parte da bancada do PSL, Bolsonaro engatou uma série de frase desconexas elogiando a bancada:

“Vários parlamentares discutiram ontem e hoje uma espécie de refundação do partido, um novo estatuto bem claro. Você deve me acompanhar… Eu não quero mandar no partido. Quero ajudar o Brasil.”
“Não podemos entrar numa linha de ser um partido que já tem alguns hábitos. Temos excelentes parlamentares… mas não é tanto os parlamentares, é a Executiva que tem que mostrar que é diferente.”

Claro, não baixou inteiramente a crista, dizendo que, se sair do PSL o partido “vai murchar”.

Mas, até lá, muita gente vai inflar.

Se Bolsonaro, que não comanda o país, não comanda nem a tropa que se elegeu na sua garupa, está mal parado.

Afinal, levar ultimato de Luciano Bivar é dose .

 

Comentários no Facebook