É melhor já ir se convertendo, Moro…

Jair Bolsonaro deu uma “pernada” em Sérgio Moro. Ou não.

Agora há pouco, numa igreja Assembleia de Deus, em Goiânia, disse que o Brasil precisa ter um evangélico como ministro do Supremo Tribunal.

Sai a hermenêutica jurídica e entra a hermenêutica bíblica, quem sabe interpretando a Constituição à luz do sensus plenior, aquilo que é “a vontade de Deus, ainda que não esteja nas Escrituras”.

Bem, neste caso a coisa não fica “ruim” para Moro, que pode ir ao templo da  esquina ou arrumar, como Jair, um batismo no Rio Jordão.

É que ele está acostumado a ser intérprete da vontade divina, ainda que não esteja nos autos.

Ele provessa o que diz  Romanos 5, 20: “”pela obediência de um só todos se tornarão justos.”

Só não pode passar para o versículo seguinte,: “A Lei foi introduzida para que a transgressão fosse ressaltada. Mas onde aumentou o pecado transbordou a graça”.

Que graça, mané graça. Não vem com este papo de indulto aí, não, porque isso é “dar moleza a vagabundo”,

Comentários no Facebook