Dilma e a ânsia da mídia de “pagar mico”

A Veja começou a intriga dizendo que, na libertação de Lula “a ausência de uma figura fez falta (sic): a ex-presidente Dilma Rousseff.

Lauro Jardim, hoje, foi mais longe: Dilma “não foi só afastada do palco da comemoração de ontem — nem na periferia da festa ficou”.

Faltou, apenas, perguntar a razão de Dilma Rousseff. Ou ler o que a Folha publicava pouco depois das 16 horas, ontem, antes mesmo de Lula deixar a PF.

Dilma não estava em Curitiba porque estava em Buenos Aires, representando Lula na reunião do Grupo de Puebla – da qual ela própria é integrante.

É só ler na BBC.

O grupo reúne os ex-presidentes Pepe Mujica (Uruguai), Ernesto Samper (Colômbia), Fernando Lugo (Paraguai) e Dilma Rousseff (Brasil), que foram recebidos pelo presidente eleito da Argentina.

E que comemoraram juntos, ontem, a libertação do ex-presidente Lula.

Pôxa, pessoal, a gente sabe que a vontade de intrigar é grande, mas peguem mais leve para não “pagar mico”.

Comentários no Facebook