Deltan, o lobista: “se o PGR não posso ser eu, que seja um meu”

Reportagem do UOL, com os diálogos obtidos pelo The Intercept, mostra como Deltan Dallagnol tentou articular, com o apoio de Sérgio Moro, a escolha do procurador Vladimir Aras para comandar a Procuradoria Geral da República.

Não entre os colegas procuradores, como seria legítimo, preparando a eleição que produz a lista tríplice de indicados, mas influenciando ministros do Supremo – Luiz Fux, Luís Roberto Barroso e Edson Fachin – e senadores, já pensando na aprovação pelo Senado daquele que viesse a ser escolhido por Bolsonaro.

Segundo as informações do jornalista Kennedy Alencar, em algum ponto deste processo, Deltan e Moro passaram a desejar indicar o o próprio coordenador da Força Tarefa da Lava Jato e o ministro propôs seu nome o presidente, que o recusou.

Veja o resumo em vídeo da reportagem, ou a acesse na íntegra, aqui.

Comentários no Facebook