Como esperado, ‘hacker’ de Araraquara diz ser a fonte do Intercept

Não deu outra.

Como se escreveu ontem aqui, o tal Walter Delgatti Neto, o ‘hacker de Araraquara’, confessou à Polícia Federal ser a fonte do The Intercept nos vazamentos de mensagens entre Sérgio Moro, Deltan Dallagnol e outros promotores da Lava Jato.

Era previsível que fosse assim, sendo ou não sendo assim.

Delgatti, em 2017, ano abrangido pelos vazamentos, estava preso pelo menos desde junho. Perdeu um habeas corpus por decisão de Luiz Fux, em julho daquele ano (decisão aqui) e só foi solto por habeas corpus de ofício concedido em dezembro, por decisão do STJ (aqui).

Não é o mesmo caso mostrado ontem aqui, em Itajaí (SC), mas os motivos são os mesmos: falsificação de documento público e posse ilegal de arma de fogo.

Nas duas ocasiões, exibindo-se: em São Paulo como estudante de medicina da USP e em Santa Catarina, no parque Beto Carrero, como delegado de polícia.

À parte ser ou não ser – e eu sou cético quando o suspeito é alguém muito conveniente e “pendurado” em condenações anteriores – é irrelevante jornalisticamente sobre as revelações publicadas pelo The Intercept, exceto num ponto: agora há uma prova legalmente colhida nos computadores de Delgatti.

 

Comentários no Facebook