Câmbio, a R$ 4,04, e Bolsa têm piores índices do ano.

O dólar, pouco antes de 16 horas, bateu em R$ 4,04. A Bolsa, minutos tepois, cravou a mínima de abaixo dos 90 mil pontos. Já vinha em queda e ganhou o “empurrão” de mais um iminente risco em barragem da Vale.

São os piores indicadores desde o primeiro dia útil do ano.

Não havia “razões externas” para usar como justificativa: o índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, naquele momento, subia quase 1%.

Também não é só pessimismo com a situação econômica do país, porque isso vem entrando nas contas dos investidores desde o início de março.

É o mercado financeiro se preparando para o “barata voa” político que está se afigurando.

Jair Bolsonaro conseguiu dar ao PT uma força que o partido já não tinha, ao dizer que só viu “faixas de Lula Livre” nas imensas manifestações de ontem.

O capitão leva o barco já estropiado para o meio da tempestade.

Quer que o medo reforce a autoridade que não consegue ter.

Comentários no Facebook