“Caixa preta” do BNDES lança as “fake news” oficiais

Luís Nassif já havia antecipado que se preparava um “remake” das informações há anos já contidas nas páginas de internet do BNDES – nas quais, aliás, este blog encontrou o financiamento para os jatinhos de Luciano Huck e João Doria Jr .

Hoje, segundo Vera Magalhães, a tucanésima colunista do Estadão, isso foi feito “no afã de ter um assunto para desviar o foco do recurso de Flávio Bolsonaro ao STF para, evocando o foro privilegiado, sustar a investigação sobre Fabrício Queiroz e anular suas provas”

 Jair Bolsonaro, os outros filhos e aliados transformaram a lista dos 50 maiores clientes do BNDES numa espécie de “caixa preta” de supostas irregularidades no banco. (…)O site do banco reorganizou dados antigos e divulgou o volume total de empréstimos dos 50 maiores tomadores de recursos (…)A lista inclui as maiores empresas nacionais, encabeçada pela Petrobras (da qual o próprio governo acionista majoritário!) e pela Embraer (que está em fase de ultimar um negócio internacional com a Boeing. Nas páginas de Bolsonaro, dos filhos Carlos e Eduardo e de aliados do governo, o caso foi alçado a escândalo, como se todos os empréstimos fossem fraudes a serem debitadas na conta dos governos anteriores. Resta saber como os “clientes” vão reagir à criminalização de seus nomes –com consequências, por exemplo, em negociações de ações em Bolsa e imagem– no altar do bolsonarismo. Liberalismo bem interessante esse que estigmatiza grandes empresas privadas.

A Folha diz que os “dados divulgados pelo presidente [Jair Bolsonaro] hoje estão ao alcance de todos há alguns anos”.

Os dados foram organizados num gráfico que facilita sua exposição, mas não acrescentam nada ao que já estava disponível nas planilhas do banco e em outras publicações que podem ser encontradas na internet, como um relatório produzido para defender sua atuação em 2017, no governo Michel Temer. Tabelas completas, com informações sobre todos os empréstimos, podem ser baixadas no site do banco por qualquer pessoa. Consultas simples podem ser feitas com ajuda de ferramentas oferecidas pela própria instituição. Contratos de projetos financiados no exterior são públicos. Detalhes sobre a carteira de investimentos do BNDESPar são divulgados desde o ano passado.

Registre-se porém que Jair Bolsonaro conseguiu uma proeza: tornar oficial a publicação de “fake news”. Quando “exigiu” a abertura da suposta “caixa-preta” do banco como forma de justificar a nomeação do ex-ministro Joaquim Levy, ganhou manchetes.

Agora, os jornais admitem que era pura mistificação. Mas em “notinhas”.

Comentários no Facebook