Bolsonaro vai a ONU contradizer o mundo

Por todo o mundo, hoje, multidões se mobilizam contra as mudanças climáticas provocadas pela ação humana.

Até na CNN noticia-se que a questão ganhou tanto peso que “trabalhadores e investidores estão forçando as empresas a agir” sobre a questão, como se viu ontem quando fundos de investimento cobram providências do Brasil sobre as queimadas na Amazônia.

Na terça-feira, Jair Bolsonaro vai à ONU, entrar na contramão disso.

Vai aproveitar uma “belíssima” chance de tornar nosso país mais discriminado perante a comunidade internacional.

Não importa, essencial mesmo é afirmar um falso nacionalismo, o do “é meu e eu faço o que eu quiser com ele”.

Se puder, torce por ser confrontado por lá em Nova York, o que não é improvável.

Comprovaria sua “tese” de que “o Brasil está sendo atacado”.

Bolsonaro não acredita que o “antimarketing” tem validade limitada e que chega a hora do “eu não disse?”.

Comentários no Facebook