Bolsonaro, nervoso, ofende repórteres e engrossa sobre o caso Queiroz

Não sei se os grandes portais jornalísticos vão reproduzir as palavras de Jair Bolsonaro, hoje, na saída do Alvorada, pois até agora não o fizeram.

Mas elas são reveladoras, pelo que publicou o Correio Braziliense, do estado de destempero que atingiu o ocupante da Presidência.

Perguntado por um repórter sobre o que faria se Flávio tiver cometido algum deslize, engrossou com o repórter que o havia questionado:

“Você tem uma cara de homossexual terrível, mas, nem por isso, te acuso de ser homossexual. (…) Falam “se”, “se”, “se” o tempo todo”.

Revelou, afinal, o que conteria a tal gravação “armada” por Wilson Witzel para comprometê-lo no caso Marielle/Anderson. Seria o diálogo entre dois milicianos dizendo que ele, Bolsonaro, ia “apanhar dinheiro” com eles e agora não vai mais.

Depois sobre o empréstimo que dissse ter feito a Fabrício Queiroz, disse , que conhece o ex-PM desde 1985, quando foi seu soldado para-quedista, e que foi de R$ 40 mil o empréstimo, mas que não tem comprovantes da operação:

“Porra, pergunta para a tua mãe o comprovante que ela deu pro teu pai, tá certo. Você tem a nota fiscal desse negócio contigo no braço? Não tem. Tem a nota fiscal no teu sapato? Não tem, porra. Você tem lá no teu carro? Talvez tenha lá, mas não a nota fiscal”

O vídeo está aí embaixo para quem duvidar.