Bolsonaro nega video, mas não apoio ao golpismo

Jair Bolsonaro disse, em sua live semanal, que a jornalista Vera Magalhães usou um vídeo de 2015 para que achassem que ele estava convocando para o ato, organizado pelos seus adeptos para pressionar pelo fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal.

O vídeo que eu assisti, divulgado por por ela, e mostra cenas da tal facada em Juiz de Fora, em 2018.

A menos que tenha sido uma montagem, não foi o vídeo de 2015, como alega o presidente.

Jair Bolsonaro mentir, porém, não é novidade alguma.

Diz que não disse o que disse repetidamente.

Seus apoiadores, faz tempo, reescreveram o João 8: 32: “e esquecereis da verdade e e a mentira os governará”.

Vera Magalhães ajudou Bolsonaro a galgar o poder e sente, agora, a sua fúria.

Nem por isso deixará de ser defendida de suas agressões e das de sua tropa.

E nada disso eclipsa o fato concreto, antes ou agora: Jair Bolsonaro não dá uma palavra sobre um movimento nitidamente subversivo às instituições da República.

 

Comentários no Facebook