Bolsonaro “jura de morte’ Mandetta. É o método miliciano…

Jair Bolsonaro aplicou o “método miliciano”.

“Jurou de morte” o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, hoje, ao participar de um ato de fanatismo religioso à frente do Palácio da Alvorada.

“algumas pessoas do meu governo, algo subiu à cabeça deles. Estão se achando demais. Eram pessoas normais, mas, de repente, viraram estrelas, falam pelos cotovelos, tem provocações. A hora D não chegou ainda não. Vai chegar a hora deles, porque a minha caneta funciona. Não tenho medo de usar a caneta, nem pavor. E ela vai ser usada para o bem do Brasil. Não é para o meu bem. Nada pessoal meu”

Mais claro, impossível.

Mandetta é um futuro cadáver, se Bolsonaro continuar tendo nas mãos a sua “arminha” de caneta Bic.

Um ministro da Saúde não tem condições de continuar a exercer suas funções se o homem que tem a obrigação de lhe prover de meios para a batalha que tem de enfrentar diz, de antemão, que ele vai “morrer” administrativamente.

Sua estrutura de comando está definitivamente abalada, agora que foi “promovido” à condição de “pato manco”, aquele que ainda está no cargo mas já não está no poder.

Sua autoridade segue sendo minada. Quanto tempo resistirá?

 

Comentários no Facebook