Bolsonaro insinua que Rui Costa o expõe à insegurança na Bahia

Jair Bolsonaro, agora há pouco, no Twitter, acusou o governo da Bahia de ter retirado a Polícia Militar da segurança do ato de inauguração do aeroporto de Vitória da Conquista.

Nem é preciso falar que isso é mentiroso.

Todo o controle interno do ato, numa área cercada por tapumes, corre por conta da Abin e da Polícia Federal, como é natural em cerimônias com a presença do Presidente da República.

Na área interna, o controle é sempre da Presidência e as pessoas são identificadas por adesivos (convidados) e/ou pequenos broches (autoridades).

Nunca vi, nem nos piores relacionamentos de governos estaduais com a Presidência, algum oficial da PM negar cooperação solicitada por autoridades federais, mas também nunca os vi no comando da área de segurança nestes eventos.

É evidente que o governo federal quer, previamente, prevenir-se com vitimização diante de qualquer manifestação contrária na área externa.

Rui Costa, o governador baiano, de bobo não tem nada. Haverá policiamento externo e não será pouco, até para evitar provocações.

Já se está perfeitamente ciente de que o mais alto posto do país é ocupado por um lunático, capaz de tudo para sustentar o clima de confronto e, com ele, ir dobrando a vontade de qualquer um que não seja de seu séquito.

Todo cuidado é pouco, porém, com as provocações. Esta gente não tem limite algum em sua ânsia de criar inimigos.

Comentários no Facebook