Bolsonaro é um canalha incorrigível. Assista

O canalha que ocupa a Presidência do país não se emenda.

Depois da Ceasa vazia “fake” de ontem, hoje posta o vídeo de uma senhora que se identifica como “professora particular” pedindo que ele coloque os militares na rua para acabar com as ordens dos governos estaduais de restrição ao funcionamento do comércio e das escolas, para que possa trabalhar.

Diz que a ajuda do governo “é coisa para vagabundo”.

Alega que “as Lojas Americanas estão abertas” e estão por conta de uma juíza tão irresponsável quanto Bolsonaro.

O drama desta senhora, se é o que diz, nada tem a ver com o fechamento de lojas ou das escolas, pois se diz “professora particular”. Nada a ver com escola aberta ou fechada.

Em lugar de recomendar prudência a ela, Bolsonaro a usa para promover agitação insana, inclusive a de sugerir que os militares intervenham para abrir as lojas e tirar as pessoas de casa, quem sabe a baionetas.

Ele usa a pobre coitada para insuflar a desobediência, mas a agonia dela não o faz acelerar a renda básica de emergência.

Bolsonaro não vai se corrigir nem ser corrigido.

Ele é um genocida incorrigível.

 

Comentários no Facebook