Bolsonaro diz que não se mete em aumento da Petrobras. Diesel subirá 5,7%?

O porta-voz da Presidência declarou que Jair Bolsonaro  “não quer” e “não pode” intervir na política de preços dos combustíveis adotadas pela Petrobras, informa o G1.

Aguarda-se, portanto, que a Petrobras revalide o reajuste de 5,7% no preço do óleo diesel, anunciado e “desanunciado” na quinta-feira.

Como não vai ocorrer, como afirmou a empresa, noticiando que os preços não serão reajustados, o nome disso é mentira.

E se nós, duros e bobos, percebemos, muito mais o percebe a “turma da bufunfa” que especula com ações da Petrobras.

Talvez mais do que os caminhoneiros que vão pagar o preço do diesel e enfrentar um mercado de fretes em decadência pelo esfriamento da economia.

A conversa de investir R$ 2 bi em obras em rodovias e emprestar R$ 30 mil para o caminhoneiro trocar peças, pintar o “possante” ou trocar os pneus do “bruto” – dando o quê como garantia, o caminhão? – é pra boi dormir.

Escolha você a alternativa: o preço vai subir na bomba e Bolsonaro dirá que “não tem nada com isso, talquei?’ ou o governo “não quer” e não pode intervir no preço”, mas vai?

O problema das farsas é que elas são perecíveis.

Comentários no Facebook