Bolsonaro demite mais um general, o dos Correios. Por não ser entreguista

Ontem, na entrevista a Juca Kfuri e José Trajano, o ex-presidente Lula disse que deveria ser impossível a um general não ser nacionalista.

Nestes tempos, parece que é o contrário.

Num café com jornalistas, anunciou a demissão do presidente dos Correios, general da reserva  Juarez Aparecido de Paula Cunha.

O motivo? Segundo o presidente, ser “sindicalista”, por opinar contra a privatização da empresa.

Ah, sim, também por ter tirado fotos com “esquerdistas” do Congresso.

Agora,o  impossível é ser general e ser patriota, defender o Brasil da entrega às empresas estrangeiras, loucas para pegar a parte rentável da empresa e deixar que seus outros serviços – o cumprimento da obrigatoriedade legal de servir a todas as cidades, independente do porte – sejam deixados por cnta do Estado.

Em especial, o comércio via internet, que cresce em volocidade estontante e tem os Correios como principal – mas não único – operador.

Comentários no Facebook