Bolsonaro ataca Doria: a direita é minha

 

Jair Bolsonaro, cada vez mais claramente, continua fazendo seu trabalho de fechar a porteira do campo da direita para qualquer um que queira marcar seu lote por ali.

Há dias, dissemos que aqui que o caso dos jatinhos financiados pelo BNDES, além de Luciano Huck, mirava João Dória, beneficiário, tal como o apresentador, do financiamento do BNDES para comprar sua aeronave privada.

Hoje, o ex-capitão tornou isso explícito, acusando o governador tucano de estar “mamando lá, [quando] a bandeira era vermelha com foiçasso e martelo sem problema nenhum”, referindo-se aos governos do PT.

Conta ter encontrado uma imobilidade de Sérgio Moro e seu objetivo é liquidar as pretensões presidenciais dos dois paulistas, cuja base social – mais que a política – ainda pertencem ao bolsonarismo.

Doria, por sua vez, em toda a sua curta trajetória política, nunca tomou qualquer posição que o pudesse situar fora da extrema direita, terreno de Bolsonaro. Mas, aparentemente, não lhe resta nenhum espaço para ter uma nova aliança, ainda que semi-informal. como a que fez nas eleições do ano passado.

Já o “Mito” insiste na trajetória solitária de 2018, desprezando alianças e aliados e contando que a gritaria histérica vá, como então, garantir-lhe maioria.

 

 

Comentários no Facebook