Bolsonaristas provocam Maia com indicado para Fundo da Educação

Aquele site ao qual chamo aqui de “O Bolsonarista” moveu uma nova pedra no ataque do núcleo fundamentalista do governo a Rodrigo Maia.

Diz que ele “negocia com ministro da Educação comando de fundo de 54 bilhões”. o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação hoje dirigido por Carlos Alberto Decotelli da Silva, um professor da área de finanças, que já é o segundo nome no cargo, nomeado em fevereiro.

Seria Rodrigo Sérgio Dias, que foi presidente da Fundação Nacional de Saúde no Governo Temer  e indicado por este para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), sem conseguir nomeá-lo.

Dias  é primo do ex-ministro Alexandre Baldy (PP) e do marqueteiro de Temer,  Elsinho Mouco,  atualmente nomeado por João Dória como diretor na CPTM em São Paulo.

Em 2014, foi indiciado por ameaça, injúria, lesão corporal e tentativa de homicídio contra a ex-mulher, em São José do Rio Preto. O Tribunal de Contas da União também lhe pede explicações sobre irregularidades na Funasa, que O Globo descreveu assim:

Os técnicos do TCU apontam que a gestão do então presidente da Funasa, Rodrigo Sergio Dias, pagou cerca de R$ 100 mil por duas linhas digitadas num programa de computador, cerca de R$ 44 mil por um dia de trabalho de um técnico, R$ 500 mil por dois documentos disponibilizados gratuitamente na internet, R$ 350 mil por um planejamento de “digitalização de páginas”… A lista de irregularidades é longa.

Não é possível afirmar, claro, se Rodrigo Maia de fato está indicando este personagem para um fundo educacional de R$ 54 bi. Mas é certo que a carne do presidente da Câmara foi jogada bem diante do bolsonarismo internético do qual Maia se queixa por estar sendo linchado. Será mais ainda, enquanto posa de “bom moço” da Reforma

Comentários no Facebook