Asa à cobra

Os jornais de hoje trazem a grita contra o absurdo oferecimento de denúncia do Ministério Público contra o jornalista Glenn Greenwald.

Muito bem, é o mínimo que se poderia fazer em defesa da liberdade de imprensa e do direito constitucional ao sigilo de fonte jornalística.

Mas o problema essencial vai muito além de uma atitude inaceitável do procurador – de vasta folha corrida de manifestações contra a esquerda que não lhe disfarçam as posições políticas.

Está no fato de que a grande imprensa transformou o Ministério Público em ferramenta de sua ação política e não foi difícil encontrar numa casta de privilegiados matéria-prima para desvirtuar uma instituição que deveria ser democrática em órgão de difamação e de perseguição.

A inépcia e a ilegalidade da denúncia são flagrantes (primeiro, por imputar cumplicidade a posteriori em delito e a segunda na violação de ordem do STF para sustar investigação e mesmo assim denunciar, quando o correto seria, se necessário, procurar a revogação da medida).

Ainda assim, nada acontecerá ao procurador que foi buscar holofotes.

Quem deu asas às cobras tem de ter a coragem de cortá-las antes que elas o destrua.

 

Comentários no Facebook