A peso de ouro: Governo paga mais sete apresentadores pela Previdência

Com o meu, o seu, o nosso dinheirinho, o governo Bolsonaro vai pagar mais sete apresentadores de televisão – Além de Carlos Massa, o Ratinho) para que façam propaganda a favor de sua proposta de reforma da Previdência. Receberão, para isso, parte dos R$ 37 milhões que se investirá para, à margem da política, para que se tente influir nos pol´ticos que a votarão, criando uma opinião pública dirigida.

Sugere-se que se reservem agradecimentos à Ministra Carmem Lúcia que, no governo Temer, aurtorizou este uso abjeto de recursos públicos para criar opinião favorável a projetos que estão sendo votados no Congresso. Pergunta-se se, também, se o Executivo poderá fazer campanhas de publicidade e comprar a fala de apresentadores de televisão sobre que decisões o Supreme deve tomar, quando estiver julgando algo.

Veja a nota da Época sobre a compra de apresentadores de TV por Bolsonaro:

Depois de desembolsar R$ 268 milem publicidade no Programa do Ratinho, no SBT, a nova fase da campanha da reforma da Previdência terá merchandising em mais sete programas de quatro emissoras de televisão brasileiras.
No SBT, além de Ratinho, Eliana e Otávio Mesquita farão propaganda da reforma em seus respectivos programas. Na Record, Ana Hickman e César Filho farão merchandising no Hoje em Dia. Na Band, os porta-vozes serão Datena, no Brasil Urgente, e Milton Neves, no Terceiro Tempo. Marcelo de Carvalho fará o merchan na RedeTV!, no programa Mega Senha, e Luciana Gimenez no Luciana By Night.
Segundo o departamento de publicidade, via Lei de Acesso à Informação, a nova fase da campanha encontra-se em execução desde 20 de maio e tem previsão de veiculação até julho. As despesas ainda estão em aberto e não foram informadas. O valor total estimado — que inclui outras ações além do merchandising — é de R$ 37 milhões.

 

Comentários no Facebook