A burrice de querer transformar abacaxi em laranja

A oferta de uma diretoria da Itaipu Binacional a Gustavo Bebianno para “sair manso” do ministério, noticiada por Lauro Jardim é das maiores burrices que já vi ser praticada por um governo.

Depois das ameaças nada veladas de Bebianno de “afundar atirando” tem o sentido óbvio de ofertar um “cala a boca”.

Os R$ 67,6 mil mensais e um “ano de 16 meses”, embora sejam uma enormidade para os comuns dos mortais é nada para o grande mundo dos escritórios de advocacia por onde Bebianno transitava.

Serviriam, com sobras, a um “padrão Queiroz”, mas é muito pouco para Bebbiano renunciar a ser um “abacaxi” que terá de ser manuseado com mil cuidados de agora em diante.

Só mesmo o vício de alguém que acha que os outros vão agir como ele próprio agiria explica uma asneira destas.

Para todos os efeitos, agora, é Bebianno que passa como aquele que recusou um “bocão” para manter o seu fechado.

Comentários no Facebook